Síndrome do Olho Seco e doenças oculares do outono

Doenças oftalmológicas, saiba como prevenir e tratar
fevereiro 3, 2017

Síndrome do Olho Seco e doenças oculares do outono

Saiba o que é a síndrome do olho seco e como ela pode prejudicar a sua saúde

As estações mais frias do ano sempre requerem muito cuidado para a saúde ocular da população.

Quando há a diminuição da temperatura e, por consequência, uma menor umidade relativa do ar, nossos olhos acabam ficando mais secos e até ressecados. Fato que pode prejudicar e muito todo o funcionamento da sua visão.

Segundo um levantamento do Instituto Brasileiro de Estatística e Pesquisa, 35 milhões de cidadãos têm algum tipo de problema de visão, seja:

• Coceiras;
• Vermelhidão;
• Astigmatismo;
• Miopia;
• Síndrome do olho seco.

Entretanto, por mais que as doenças abranjam boa parte da população, elas são evitáveis e possuem tratamento!

No artigo de hoje, a gente vai falar bastante sobre a síndrome do olho seco, entendendo quais são os principais sintomas, causas e cura. 

Gostou? Fique com a gente!


Afinal, o que é a síndrome do olho seco?

A síndrome do olho seco é uma anomalia na produção ou na qualidade da lágrima que provoca o ressecamento da superfície do olho, da córnea e da conjuntiva.

Ela pode ser caracterizada pela diminuição da quantidade de lágrimas, o que deixa o olho um pouco mais seco que o normal, além de também poder ser notada:

• Vermelhidão nos olhos;
• Irritação;
• Sensação de que existe um corpo estranho no olho como um cisco ou pequenas partículas de poeira;
• Visão embaçada;
• Pálpebras pesadas.

Além disso, também há o aumento extremo da sensibilidade dos olhos perante a luz solar, dificultando a permanência em lugares claros e ensolarados.


Meses de frio são mais propícios

É durante o outono e o inverno que mais casos de síndrome do olho seco são diagnosticados na população.

Mesmo que, na maioria das vezes, seja uma doença crônica, o vento frio acaba ressecando muito mais os nossos olhos, o que provoca a necessidade de uma lubrificação mais intensa.

O ressecamento dos olhos no outono também pode favorecer o aparecimento de quadros de conjuntivite.

Como as pessoas costumam ficar mais resfriadas quando a temperatura despenca, por causa da baixa da imunidade, a conjuntivite mais comum é a viral e causa vermelhidão, secreção e sensação de corpo estranho nos olhos.


Principais causas

As causas do surgimento da síndrome do olho seco são diversas, como:

• Trabalhar em locais muito secos, com ar condicionado ou muito vento;
• Usar remédios para alergia ou resfriado;
• Usar pílulas anticoncepcionais que podem ter como efeito colateral a diminuição da produção de lágrimas;
• Uso de lentes de contato ou desenvolvimento de conjuntivite ou blefarite;

• Anormalidade nas pálpebras;
• Envelhecimento;
• Ser portador de doenças sistêmicas e autoimunes.

Uma causa bem comum é a exposição prolongada ao sol. Assim como nossa pele precisa estar protegida com protetor solar, nossos olhos também precisam de atenção, como a utilização de óculos escuros.


Diagnóstico

O diagnóstico da síndrome do olho seco é basicamente clínico, mas pode-se contar com o exame da lâmpada de fenda e o teste de Shirmer para avaliar o nível de produção de lágrimas.

Existem alguns tipos de exames que medem a produção da lágrima e corantes que acusam pontos ressecados. Com câmeras especiais, é possível quantificar a taxa de evaporação do líquido nas córneas. 


Dica Médica

Todo o diagnóstico da síndrome do olho seco só pode ser dado por um médico oftalmologista. Assim, você terá mais qualidade no tratamento e evitará possíveis erros que tragam problemas para a sua saúde.


Como funciona o tratamento?

O tratamento para a síndrome do olho seco é bem simples e pode ser feito em casa com o uso de lágrimas artificiais ou colírios em forma líquida ou em gel.

Eles ajudam a aliviar os sintomas e, geralmente, não costumam ter efeitos adversos. Recomenda-se que seja aplicada 1 gota do colírio várias vezes ao dia.

Durante o tratamento deve-se evitar ficar em frente da televisão ou fazer atividades que diminuam a quantidade de piscadas, como por exemplo, usar o computador ou o celular sem pausas. 

Além disso, também se deve evitar tomar remédios para alergia sem indicação médica, assim como estar muito tempo em locais secos ou com muita fumaça.

Sempre é bom reforçar que é indispensável saber quais são as causas em seu organismo e – assim – ter um diagnóstico e tratamento mais eficaz e fidedigno com a situação.


Procure sempre ajuda médica

Não importa se o problema é grave ou não. Procure sempre ajuda médica quando sentir qualquer tipo de anormalidade em seus olhos.

O cuidado ocular não é brincadeira, estamos falando de estruturas sensíveis e imprescindíveis para nossa vida humana em sociedade.

A partir de exames, um profissional conseguirá identificar e diagnosticar com grande assertividade o problema, as causas e o tratamento mais indicado para você.

Procure sempre seu oftalmologista de confiança! 


Gostou do nosso artigo? Envie para seus amigos e compartilhe em suas redes sociais. Como estamos chegando em temporadas de inverno, a prevenção é o melhor remédio para a síndrome do olho seco.